Engenharia de Processos de Produção de Celulose e Papel

Pós-Graduação On-line com Aulas Ao Vivo

Apresentação

Uma característica fundamental do nosso tempo é a velocidade com que se dão as mudanças nos campos da ciência e da tecnologia. Tal circunstância requer esforços, dos profissionais de todas as áreas, no sentido de uma contínua atualização profissional.

No campo da Engenharia de Processos de Produção de Celulose e Papel, a rapidez com que ocorrem as transformações científicas e tecnológicas, aliadas aos aspectos de sustentabilidade e governança corporativa, tem um efeito ainda mais importante pois neste âmbito, por tratar-se de uma área onde o surgimento das novas tecnologias tem repercussão praticamente imediata, o vertiginoso ritmo das inovações exige deste profissional a capacidade de compreendê-las e absorvê-las com rapidez e eficiência.

A consciência da necessidade de uma contínua atualização profissional, iniciada na graduação, é imprescindível para um competente desempenho profissional.

Particularmente o conhecimento em tecnologias de produção de celulose e papel não é transmitido em cursos de graduação em engenharia tradicionais e o propósito deste curso é o cumprir este objetivo pois, desta forma, o tempo de retorno de resultados deste profissional será diminuído consideravelmente.

Em síntese, o especialista em processos de produção de celulose e papel é um profissional com conhecimento crítico, criativo, tecnicamente competente e cônscio da realidade em que atua, pois, a crescente complexidade dos desafios postos ao profissional, seja no domínio da pesquisa, seja no campo da produção, não mais comportam a figura do profissional isolado e esta qualidade é transmitida ao longo do curso.

Objetivos:
• Proporcionar uma visão sistêmica do processo de fabricação de papel que tem origem na floresta e passa pela fabricação de celulose e termina na conversão;
• Disponibilizar conhecimento técnico-científico aos profissionais graduados que atuam no setor de celulose e papel, incluindo os fornecedores de equipamentos, serviços, manutenção e produtos químicos;
• Qualificar a mão de obra de forma a contribuir para o aumento da competitividade da indústria nacional de celulose e papel.

Público-Alvo:
Profissionais graduados pertencentes ao setor industrial de celulose e papel incluindo os fornecedores de equipamentos, serviços, manutenção e produtos químicos.

Formato do Curso:
- Aulas ao vivo, 100% do conteúdo será disponibilizado pelo professor por meio da plataforma de videoconferência em um formato semelhante ao encontro presencial com possibilidade de interação imediata.
- Encontros às sextas-feiras das 18h45 às 22h45, no horário de Brasília.
- Início das aulas: 4 de Março de 2022.

Disciplinas

  • Nesta disciplina o acadêmico ira aprender sobre a estrutura e composição química da madeira; química bem como o processo de deslignificação da madeira e os Métodos analíticos.
  • Nesta disciplina o acadêmico irá entender acerca das fibras da madeira e da polpação. Compreenderá as operações de linhas de produção de fibras bem como do preparo de Madeira e seu processo de cozimento em batelada e contínuo. Será capaz de diferenciar os processos de lavagem de polpa e de depuração de polpa.
  • Nesta disciplina o acadêmico irá compreender acerca do gerenciamento sustentável dos recursos florestais, o futuro das florestas e ecossistemas florestais. Quais são os recursos florestais globais e as estrutura e biomassa da madeira. Terá capacidade de realizar o inventário e planejamento do gerenciamento florestal de ecossistemas florestais e compreenderá como funciona o setor florestal e a economia nacional.
  • Nesta disciplina o acadêmico ira aprender sobre os Deslignificação com Oxigênio: química e processo, Branqueamento: princípios e definições, reações da lignina, carboidratos e extrativos, Reversão de alvura, Estágios de branqueamento, Sequências de branqueamento e Fechamento de circuitos.
  • Nesta disciplina o acadêmico ira compreender a importância da química e das ligações químicas na fabricação de papel. Aprenderá como realizar testes de laboratório de retenção e drenagem. Terá conhecimento acerca da Química do alumínio, cargas e pigmentos, colagem interna do papel, química da água na máquina de papel, depósitos em máquina de papel. Será de domínio do acadêmico a influência do refugo na química da parte úmida, a microbiologia, os aditivos de resistência a seco e a úmido, os corantes e agentes branqueadores óticos.
  • Nesta disciplina o acadêmico ira aprender sobre os tipos de papéis e cartões, os objetivos dos ensaios em polpa e papel, as propriedades de fibras, as propriedades do potencial de polpa para fabricação de papel, as análises químicas de polpa, as propriedades físicas e mecânicas de papel e cartão, as propriedades óticas do papel, as propriedades de polpas recicladas e a padronização de ensaios de polpa e papel.
  • Nesta disciplina o acadêmico irá aprender como ocorrem os processos de preparação da massa e parte úmida da máquina de papel, a secagem da folha, a calandragem, enrolamento e rebobinamento, embaladeira e cortadeira. Compreenderá os objetivos e a composição do revestimento dos tipos de papéis e cartões. Aprenderá as diferenças acerca dos papéis revestidos a base de pasta mecânica e sem pasta mecânica e dos tipos de pigmentos para revestimento (caulim, talco, carbonato de cálcio natural e precipitado, pigmentos sintéticos plásticos, látex, Carboximetilcelulose) bem como a preparação de tinta, o controle de qualidade e desenvolvimento e as tendências para o futuro.
  • Nesta disciplina o acadêmico irá aprender sobre os processos, as variáveis, as tintas e a qualidade da impressão com ênfase nas novas tecnologias e equipamentos
  • Nesta disciplina o acadêmico ira aprender os seguintes temas: Conversão, tipos de produto, adição de valor ao produto; Pré-tratamento em máquina; Umedecimento e adesão na conversão de papel e cartão; Aplicações industriais; Linhas de conversão e operações; Dispersões e suas aplicações; Extrusão e suas aplicações; Fabricação de embalagens de cartão; Papéis e cartões convertidos como materiais de embalagem.
  • Nesta disciplina o acadêmico ira conhecer os aspectos gerais, estatísticas e legislação para o uso de fibras recicladas. Compreenderá quais são os sistemas de coleta, fontes e tipos de papéis recuperados, assim como o controle de qualidade e reciclabilidade de papéis recuperados. Aprenderá sobre as operações unitárias e equipamentos. Quais são os projetos de processos e a química do processo de destintamento. Como funciona o branqueamento de polpa destintada e o potencial da polpa reciclada para fabricação de papel. Estudará sobre os Stickies em polpa reciclada e os aspectos ambientais.
  • Nesta disciplina o acadêmico discorrera acerca dos controles ambientais, dos padrões ambientais permitidos para a indústria, das cargas de efluente da indústria, do tratamento da água bruta e de efluentes, da redução de emissões atmosféricas e resíduos sólidos e líquidos bem como outros impactos ambientais e suas reduções e quais são as ferramentas para o gerenciamento ambiental.
  • Nesta disciplina o acadêmico fará uma revisão da etapa de recuperação do processo Kraft: propriedades das correntes, a evaporação do licor negro: propriedades, princípios da evaporação, aspectos de projeto, transferência de calor, os sistemas de evaporação e aplicações, separação de sabão e incrustação em superfícies de troca de calor, a caldeira de recuperação, a preparação de licor branco e os subprodutos do processo de polpação Kraft.
  • Nesta disciplina o acadêmico irá compreender usos modelagem matemática, os processos, as leis fundamentais – Balanços e Equações Construção de Modelos de Processos – Exemplos, os Modelos lineares e não lineares, as técnicas de modelagem e o uso dos simuladores de processos: CADSIM plus, ou IDEAS
  • Nesta disciplina o acadêmico aprenderá sobre os elementos do laço de controle por realimentação (feedback) convencional, os modelos aproximados para controle de processos, a dinâmica de sensores e elementos finais, as medidas de desempenho para laços de controle, os métodos clássicos para sintonia, o controle lambda, o controle antecipativo (feedforward), a compensação de tempo morto, controle de razão (ratio) e o controle digital;
  • Nesta disciplina o acadêmico terá noções de microbiologia e biomoléculas, e sua degradação microbiana, com vistas à aplicação em biorefinarias e desenvolvimento de processos biotecnológicos. Conceitos acerca de fungos, enzimas, biomassas florestais e industriais, rotas tecnológicas, bio-descascamento, bio-polpação, bio-branqueamento, extração Hemiceluloses, Lignina, gaseificação licor negro, Metanol, Tall Oil, Impactos Ambientais de Biorefinarias.
  • Nesta disciplina o acadêmico ira aprender sobre o tratamento de água: clarificação e filtração, abrandamento e desmineralização. Como ser dá a geração de vapor: qualidade de água para geração de vapor, caldeiras e controle de qualidade do vapor, bem como a distribuição de vapor e Transformação: turbinas a vapor, ciclos de vapor e sistemas industriais típicos e distribuição de Energia Elétrica.

Diferenciais

  • Possibilidade de ampliar de forma expressiva o networking com lideranças de diversas áreas da indústria de papel e celulose em todo o Brasil.

  • Corpo docente composto por grandes referências da indústria de papel e celulose de diferentes regiões do Brasil.

  • Curso com a qualidade CENSUPEG, instituição reconhecida por ter uma das maiores e melhores estruturas de pós-graduação do Brasil.

  • Seu certificado emitido pela Faculdade que é nota MÁXIMA (5) no MEC.

  • Receba um código de desconto de 30%, entre em contato com o Consultor de Carreira mais próximo da sua cidade por meio do whatsapp.


Supervisor Técnico


Prof. Dr. Osvaldo Vieira

Possui graduação em Engenharia Quimica pela Universidade Estadual de Maringá (1985), mestrado em Engenharia Química pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1989) e doutorado em Engenharia Química pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2003). Engenheiro especialista em engenharia de Processos/Pesquisa & Desenvolvimento - Klabin S/A. Tem experiência na área de Engenharia Química, com ênfase em Papel e Celulose, atuando principalmente nos seguintes temas:Modelagem matemática;redes neurais;Controle Processos;papel;otimização de processos indústria; meio ambiente;poluição;gerenciamento;processos, madeira;qualidade;papel;análises químicas, qualidade, pesquisa;desenvolvimento;Institutos de Pesquisa;instituição e tecnologia;papel;processos. Gerenciamento e organização da atividade de desenvolvimento. Membro do Núcleo de Assessores em Tecnologia e Inovação (Nati) - CNPq Membro do Comitê de Assessoramento das Bolsas de Produtividade em Desenvolvimento Tecnológico e Extensão Inovadora (CA-DT) - CNPq ORCID: https:// orcid.org/0000-0002-1824-8632

Professor


Prof. Dr. Jorge Luiz Colodette

Formou-se em Engenharia Florestal em 1978 pela Universidade Federal de Viçosa, onde também concluiu o mestrado em Ciência Florestal em 1981. Em 1986, concluiu o doutorado no College Environmental Science and Engineering da Universidade de Nova York, USA. Trabalhou como pesquisador visitante do grupo de branqueamento de pastas mecânicas da Abitibi-Price Inc. em Mississauga, Canadá, em 1987. Realizou treinamento, a nível pós-doutorado, na Universidade Estadual da Carolina do Norte no período de 1992 a 1993. É professor titular da Universidade Federal de Viçosa desde 1994, trabalhando em ensino e pesquisa nas áreas de química da madeira e de branqueamento de celulose. Publicou mais de cem trabalhos técnico-científicos em revistas e anais de congressos nacionais e internacionais e registrou cerca de dez patentes no INPI, no USA Patent Office e no European Bureau of Patents. Jorge Luiz Colodette recebeu o título honorário de "Tappi Fellow" da Technical Association of the Pulp and Paper Industry Norte Americana.

Professor


Prof. Dr. Francides Gomes da Silva Júnior

Engenheiro Florestal formado pela Universidade de Brasília (1990), com registro no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia/DF. Mestre em Ciência e Tecnologia de Madeiras pela Universidade de São Paulo/Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo, IPT (1994). Doutor em Engenharia Química pela Universidade Estadual de Campinas (1997). Entre 1994 e 1998 atuou na empresa Votorantim Celulose e Papel (atual Fibria) onde desempenhou diversas funções, envolvendo desde a operação e controle de linha de fibras, concepção e implantação de programa de qualidade de madeira para uso industrial, produção de polpa celulósica, desenvolvimento de processo e produto e suporte técnico a área comercial (mercado interno e externo). Professor da Universidade de São Paulo desde 1998. Livre Docente pela Universidade de São Paulo (2005). Professor Associado 2 junto a Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz ESALQ/USP desde 2013. Entre 2000 e 2001 realizou programa de pós-doutoramento junto ao Institute of Paper Science and Technology do Georgia Institute of Technology (Atlanta, EUA) na área de simulação de processos modificados de polpação. Em 2013 realizou programa de pós-doutoramento junto ao Forest Biomaterials Department da North Carolina State University (Raleigh, EUA) na área de modelagem matemática de processos de polpação e biorefinaria. No período entre 2003 e 2009 foi, respectivamente, Vice Coordenador e Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Recursos Florestais, tendo o programa, ao final de sua gestão atingido o nível 5 da CAPES (maior entre os programas da área florestal no período). Tem experiência na área de Recursos Florestais, Engenharia Florestal e Tecnologia de Produtos Florestais, Inovação e Propriedade Intelectual com ênfase em Tecnologia de Celulose, Papel e Biorefinaria, atuando principalmente nos seguintes temas: polpa celulósica, processos de polpação, branqueamento, qualidade da madeira e biorefinaria. Orientou 51 estagiários de nível médio, 89 alunos de iniciação científica, 12 trabalhos de conclusão de curso, 2 monografias de programas de especialização, 23 dissertações de mestrado e 3 teses de doutorado nas áreas de Tecnologia de Produtos Florestais, Química, Química Industrial e Engenharia Química. Atualmente orienta 9 alunos de iniciação científica, 2 dissertações de mestrado, 4 teses de doutorado. Publicou 55 artigos em periódicos científicos nacionais e internacionais. Publicou 56 trabalhos completos em anais de eventos. Foi Editor-Chefe da Scientia Forestalis 2017-2019 e membro do corpo editorial de 17 periódicos nacionais e internacionais. Bolsista de Produtividade em Desenvolvimento Tecnológico e Extensão Inovadora do CNPq (2010/2013 e 2014/2017). Membro da Associação Brasileira Técnica de Celulose e Papel, ABTCP, da Technical Association of Pulp and Paper Industry, TAPPI e da American Chemical Society, ACS. Depositou 7 pedidos de patentes referentes a sua área de atuação. Cordena o FBEF - Forest and Biomaterials Endowment Fund.

Professor


Prof. Dr. Ivo Neitzel

Possui graduação em Engenharia Quimica pela Universidade Federal do Paraná (COPPE 1971), mestrado em Engenharia Química pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1973) e doutorado em Engenharia Química pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (COPPE 1995). Atualmente é professor pesquisador da Faculdade de Telêmaco Borba. Tem experiência na área de Engenharia Química, com ênfase em Aplicações de Controle de Processos Em Plantas Industriais e Simulação de Processos, atuando principalmente nos seguintes temas: celulose, papel, redes neurais, simulação e controle de processo.

Professor


Prof. Dr. Marcelo C. dos S. Muguet Soares

Engenheiro Florestal pela Universidade Federal de Viçosa (UFV). Mestre em Tecnologia de Celulose e Papel pela Universidade Federal de Viçosa (UFV). Doutor em Tecnologia (Major em Química de Produtos Florestais) pela Aalto University - School of Chemical Technology, Finlândia. Atualmente é Pesquisador da Klabin S.A. em Novas Tecnologias e Novos Negócios. Atua principalmente nos seguintes temas: Biorrefinaria, Lignina, Química de madeira, Novas tecnologias e Nanotecnologia.